sexta-feira, 26 de julho de 2013

QUINTA-FEIRA, 25 DE JULHO DE 2013 Treinamento cerebral pode prevenir o declínio cognitivo Treinamento cerebral pode prevenir o declínio cognitivo em adultos saudáveisCom o crescimento da população de idosos, a prevenção do declínio cognitivo se torna cada vez mais importante entre os idosos saudáveis. Essa perda de desempenho nas habilidades cerebrais ocorre naturalmente com o aumento da idade, porém se ela for maior do que o normal para certa idade, pode indicar uma condição de comprometimento cognitivo leve que, consequentemente, pode se transformar em demência. Uma pesquisa canadense recente investigou vários produtos que afirmam prevenir o declínio cognitivo, desde programas de treinamentos físicos e mentais, até medicamentos com e sem receita. O único produto que apresentou evidências de prevenir o declínio cognitivo em idosos saudáveis foi o treinamento cognitivo formal com exercícios para o cérebro. Essa pesquisa envolveu a revisão de 32 estudos clínicos envolvendo cerca de 25.000 pacientes saudáveis, ou seja, que não apresentavam quadro de comprometimento cognitivo leve. O objetivo dos pesquisadores era de ajudar os médicos e os idosos a tomarem decisões fundamentadas, com base nas evidências mais recentes, sobre quais as terapias preventivas disponíveis quando tiverem que lidar com uma situação de capacidade mental deteriorada. Os tratamentos analisados nesses estudos incluíam: Tratamento hormonal Suplementos a base de ervas Vitaminas e ácidos graxos Vários remédios com receita médica Exercícios físicos Treinamento cognitivo Modificação de fatores de risco vasculares (perda de peso, parar de fumar, etc) Não foram encontradas evidências consistentes para tratamentos farmacológicos como os com gingko, DHEA, vitaminas e outras substâncias. Em alguns casos, havia evidências de que certos tratamentos farmacológicos, como os com estrógeno e com anti-inflamatórios, prejudicavam o paciente, aumentando o declínio cognitivo e a demência. As evidências para a atividade física como forma de prevenção cognitiva são muito fracas. Estudos que envolviam treinamento de resistência física ou de equilíbrio como tratamento não tiveram efeitos negativos e alguns até mostraram alguma melhora, mas não o suficiente para substanciar qualquer afirmação. Os exercícios mentais ou treinamento cognitivo, entretanto, demonstraram benefícios nos três estudos incluídos na pesquisa. Isso envolvia tanto programas de treinamento computadorizados como treinamento cognitivo pessoal (um-a-um) em memória, raciocínio e velocidade de processamento. Num dos estudos, os participantes tiveram uma melhora significativa de memória, mesmo após 5 anos do tratamento. Outro estudo mostrou uma melhora na memória auditiva e atenção num grupo de idosos que participaram de um programa de treinamento cognitivo computadorizado. Essa pesquisa demonstra mais uma vez a importância de fazermos dos exercícios para o cérebro parte da nossa rotina, pois é a melhor forma de prevenirmos problemas mentais futuros. E o Cérebro Melhor pode ajudar com seu programa de treinamento cognitivo que utiliza jogos desenvolvidos cientificamente para tornar seus exercícios divertidos, além de contar com o auxílio de um instrutor virtual que garante a variedade do seu treino e o desafio na medida certa. Experimente! Fonte: Naqvi, Liberman, Rosenberg, Alston e Straus, Preventing cognitive decline in healthy older adults, Canadian Medical Association Journal, Julho 9, 2013 185:881-885.

Nenhum comentário:

Postar um comentário