Fichamento 1 - Funções e papeis da tecnologia - Alexandre Thomaz Vieira.

Minhas reflexões sobre o texto Funções e papeis da tecnologia, de Alexandre Thomaz Vieira. O uso da tecnologia não pode mais ser ignorado, com o advento da internet as informações ficaram mais democráticas, porém, paradoxal, pois a internet também é agente excludente. Muitas pessoas ainda são reconhecidas como analfabetas digitais, mesmo tendo uma formação escolar elevada, alguns motivos que colaboram para este estado: o medo do novo ou da tecnologia. Esse é um dos motivos que desafia a educação, fazer uso da tecnologia da informação e comunicação como prática pedagógica, a fim de promover aos alunos das escolas públicas a utilização de tecnologias, como instrumento que possa diminuir exclusão digital; efetivar o processo de ensino e aprendizagem das escolas utilizando os laboratórios de informática e permitir uma sala de aula mais dinâmica com a utilização de recursos tecnológicos tais como slides, filmes e animações e para atender esta demanda, conforme BIELSCHOWSKY, 2009, O Ministério da Educação (MEC), em parceria com os governos estaduais e municipais, promove a utilização de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) em nossas escolas por meio do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (Proinfo Integrado). Não é tarefa simples prover nossas escolas públicas com laboratórios de informática, banda larga e outros elementos de infraestrutura. Essa iniciativa não é suficiente para implementar uma cultura de TIC a serviço do processo de ensino e aprendizagem. Nesse sentido, refletir inicialmente sobre o papel das TIC nas escolas brasileiras para em seguida enunciar seus principais objetivos e, a partir deles, estabelecer um conjunto de ações que transcendam a implementação da infraestrutura é fundamental para que possa implementar, de fato, uma cultura digital em nossas escolas. Assim percebemos o quanto é importante as reflexões em nosso ambiente de trabalho com a finalidade de dar funcionalidade aos recursos de tecnologias que temos ao nosso dispor, como televisão, DVDs, data show e os laboratórios de informática que consta em várias escolas. Importante que o gestor tenha conhecimento e acredite que a tecnologia de informação e comunicação poderá ser um aliado importante para a organização e planejamento da prática pedagógica, envolvendo toda comunidade escolar. Ele precisa fomentar e motivar toda equipe a fazer uso de tais tecnologias, uma maneira simples seria compartilhar informações e divulgar os eventos por meio de e-mails, parece simples, mais algumas escolas está à margem desse veículo de comunicação. Percebo que alguns professores são ou estão tão resistentes as novas tecnologias, que nem um endereço eletrônico tem e nem manifesta interesse em criar um. A idéia de que conhecimento não é dado e nem informação, embora estejam relacionados é interessante e nos proporciona repensar nossos saberes a este respeito. O conhecimento é o ato ou efeito de abstrair uma determinada idéia ou a noção de alguma coisa, seja de um determinado dado, informação ou experiência. Informação é o resultado do processamento, manipulação e organização de dados, de tal forma que represente uma modificação (quantitativa ou qualitativa) no conhecimento do sistema (pessoa, animal ou máquina) que a recebe. Dados são conjuntos de fatos diferentes e objetivos, relativos a eventos que colabora para a informação. Os dados contribuem para a informação, portanto, precisa ser acrescidos de significado. O conhecimento é resultado de varias informações organizadas de forma lógica e suficiente para criar um evento, tornar possível um evento ainda não conhecido ou o poder de entender um evento, suas causas, eventos anteriores e suas causas, eventos da causa, evento resultante de causas, o poder de manipular eventos e causas. O conhecimento pode ser aplicado nas organizações escolares com o intuito de refletir sobre as análises das rotinas, objetivando a melhoria, ver o que conhecemos ou não, o que deve ser alterado ou aperfeiçoada, trata-se de uma operação diagnóstica, que só favorece quando bem utilizado. O fato de a instituição ter ferramenta tecnológica que apresente dados importantes da organização pedagógica, por exemplo, não alterará em nada se estes dados não se transformar em informações que possa provocar inquietações nos profissionais que ali trabalham para mudar determinada situação. As TIC servem como aliadas ao processo da gestão democrática, e quando se fala em gestão democrática é importante ter em mente que são todos que fazem parte do processo educacional de uma determinada escola. E, segundo Alexandre Thomaz Vieira, a implementação de um sistema de organização e disseminação de informações na escola torna-se bem mais fácil quando a cooperação já faz parte de uma cultura escolar, que ainda é o desafio de muitas instituições. Mais uma vez ressaltamos que mesmo compreendendo que todos fazem parte da gestão escolar democrática, o profissional que está exercendo a função de gestor precisa incentivar o uso das TIC a partir da implementação de um projeto, cuja ideias estejam contempladas no PPP (Projeto Político Pedagógico) as dicas elencadas no texto são importantes: • Pensar a organização por inteiro, como um sistema – é incluir todos os setores e profissionais e autores. • Construir e facilitar a construção de grupos que aprendam a partir de prática – compartilhar as experiências fortalece e encoraje outros profissionais a arriscar, a experimentar. • Levar em conta a cultura organizacional existente – possivelmente com o tempo e as experiências obtidas é possível eliminar os entraves. • Criar estruturas organizacionais menos hierárquicas e mais auto-organizadoras – com o tempo as pessoas podem se sentirem mais pertencentes e responsáveis pela organização e mais autônomas. Diante do exposto, o uso efetivo das TIC ainda está distante de ser aliada da gestão democrática e de ser uma ferramenta promotora de acesso a inclusão digital no contexto educacional, conforme a Lei - trata-se de uma política pública (PROINFO Integral) que se fosse aplicada conforme a Lei, talvez tivesse resultados mais eficazes – não se tornaria laboratórios de máquinas velhas e quebradas (sem a manutenção e inovação necessária). Portanto, percebemos que são muitos os desafios que os gestores enfrentam no cotidiano e a implementação das TIC como recurso que pode colaborar para a organização, planejamento e democratização da informação e comunicação é mais um deles, mais que aos poucos se o grupo for sensibilizado e começar a fazer uso, os resultados serão satisfatórios e alcançará um dos mais importantes objetivos a inclusão digital dos alunos que não tem acesso ao mundo multimídico. As TIC fazem parte de toda realidade social, as redes sociais virtuais são muitas acessadas, as informações chega a todo o momento, pela televisão e internet. São tantas as informações que nem conseguimos dissolvê-las, com isso a dinâmica de alguns profissionais da educação continuam a mesma de alguns tempos passados, creio que isto contribui e muito para aulas maçantes e desinteressantes. Mais um motivos para nos aproximarmos das tecnologias com o propósito de usá-las para enriquecer nosso trabalho. Bibliografias: BIELSCHOWSKY, Carlos Eduardo.Tecnologia da informação e comunicação das escolas públicas brasileiras: o programa PROINFO integrado. Disponível em: . Acesso em: 28 de jun. de 2013. Dados.< http://pt.wikipedia.org/wiki/Dados>. Acesso em: 28 de jun. de 2013. Informação.. Acesso em: 28 de jun. de 2013. O significado do conhecimento. . Acesso em: 28 de jun. de 2013 VIEIRA, Alexandre Thomaz. Funções e papéis da tecnologia.São Paulo, PUC-SP, 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário